Ocorreu um erro neste gadget

Sala dos Professores

Clique aqui e participe!
Ocorreu um erro neste gadget
 

Educação, mídia e comunicação

terça-feira, 17 de abril de 2012


Texto da professora Mônica Fantin, no blog Educação & Mídia - assunto é rico e o debate vale a pena!

Confira: Educação, mídia e comunicação

Para carregar debaixo do braço

quarta-feira, 11 de abril de 2012

Confira o texto de José Carlos Fernandes no blog Educação e Mídia:



Para carregar debaixo do braço

Você sabe escolher?

quarta-feira, 21 de março de 2012

Publicado originalmente no blog Giro Sustentável - Gazeta do Povo - autoria: Everton Renaud http://www.gazetadopovo.com.br/blog/girosustentavel/ Você já pensou nos seus hábitos de consumo? Muitas vezes quando as pessoas pensam sobre seu próprio consumo percebem que gastaram mais dinheiro do que pretendiam, geraram mais resíduos do que imaginavam e não tiveram toda a satisfação sonhada. Pensar nestes três pontos é essencial para criar hábitos de consumo consciente. Primeiramente é preciso quebrar o tabu de que esse assunto se relaciona somente ao meio ambiente. Mas como esse é um dos pilares, então vale ser citado. Todas as escolhas de consumo, seja de produtos ou de recursos, geram consequências. Cabe a cada um optar por aquelas cujo impacto ambiental negativo seja cada vez menor até ficar ausente, se isso for possível. Sempre temos escolhas; mas optar por um caminho não é tão simples quanto parece - especialmente quando se trata de hábitos de consumo. Da mesma forma, as escolhas devem ser pensadas a partir da perspectiva de custo e satisfação. Se a escolha de um bem ou serviço gera custo exagerado, se faz necessário analisar a real necessidade de consumo ou aquisição deste bem ou serviço. Além disso, todas as escolhas são pautadas pelo nível de satisfação que elas geram e muitas têm efeitos de momento, que se desdobram em arrependimento. Escolher não é tão simples quanto parece, mas uma boa indicação para decidir aquilo que vai afetar seus hábitos de consumo é pensar um pouco nas consequências. - Você sabe escolher ou já passou pelo arrependimento?

Gazeta do Povo lança blog Educação & Mídia

quinta-feira, 8 de março de 2012

Publicado originalmente no blog Jornal e Educação da ANJ


O jornal Gazeta do Povo (PR) acaba de lançar o blog Educação & Mídia, coordenado pela equipe do Programa Ler e Pensar, desenvolvido pelo jornal e pelo Instituto GRPCOM. O objetivo principal da iniciativa foi criar um espaço de debate que faça a interface entre Educação, Leitura, Comunicação, Infância e Adolescência, para todos os leitores. 

A novidade é que a autoria do blog é coletiva: foram convidados jornalistas, professores mestres e doutores, especialistas em comunicação, representantes de escolas, associações envolvidas com educação... 

Entre os autores, que vêm do Paraná e também de outros cantos do Brasil, já garantiram presença no espaço: Alexandre Le Voici Sayad, secretário executivo da REDE CEP (Rede de Comunicação Educação e Participação); Cristiane Parente, coordenadora do programa Jornal e Educação da Associação Nacional de Jornais; Geraldo Peçanha de Almeida, doutor em Teoria Literária e professor da Universidade Federal do Paraná; professora Glaucia Brito da Universidade Federal do Paraná, especialista em Tecnologias da Informação e Comunicação; o jornalista e professor José Carlos Fernandes; Mônica Fantin, doutora em educação pela Universidade Federal de Santa Catarina e assessora de projetos na área de educação e culturapedagoga, Associação Não Violência, Associação Gente do Bem, equipe do núcleo de Educação do Instituto GRPCOM... 

O blog terá artigos, entrevistas, divulgação de práticas, novidades... A ideia é reunir pontos de vista de diversos setores da sociedade e lançar a discussão sobre temática tão importante hoje. 

Visite o espaço e compartilhe essas reflexões!




Profissão ou ocupação?

sexta-feira, 30 de dezembro de 2011

Nos últimos dias tem acontecido de eu ter que responder para muitas pessoas qual a minha profissão. Sempre sou categórico diante disso, seja para preencher fichas ou responder verbalmente: sou professor! Essa é minha profissão! É isso que sou e é nisso que me formei. No entanto, sempre percebo que ou a pessoa jura que estou em sala de aula dando aulas ou não sabe o que estou fazendo ao certo. Claro, ela me perguntou a minha profissão, e não a minha ocupação.

Me ocupo profissionalmente fora de sala de aula, com assessoria pedagógica, com produção didática, com gerenciamento de projetos educacionais e com formação continuada de professores. Mas isso tudo porque sou professor, e justamente porque sou professor. Um pouco mais complexo. Mas ainda me resta a dúvida, diante do olhar de algumas pessoas diante da minha resposta. Será que eles querem saber a profissão mesmo ou a ocupação? Ou julgam que uma e outra são a mesma coisa?

Será?


 E você? qual sua profissão? é a mesma ocupação?

Educação Integral em debate

sexta-feira, 23 de setembro de 2011

Debate reuniu mais de dois mil educadores em Curitiba

*notícia do site do Instituto GRPCOM

Na segunda-feira (19/09), a equipe do projeto Ler e Pensar, do IGRPCOM, participou da 1º Conferência Municipal de Educação de Curitiba. O evento reuniu cerca de dois mil educadores, das redes municipal e estadual de ensino, escolas particulares e outras instituições envolvidas com atividades educativas.

Esteve presente a secretaria de educação, Liliane Casagrande Sabbag, que estimulou que os professores pensar e avaliar suas práticas com vistas à construção de um novo projeto político-pedagógico. E o professor Miguel Arroyo, que falou sobre a educação em período integral.

As discussões examinaram as necessidades do aumento de carga horária das escolas, como o fato de as crianças terem um espaço para viver sua infância e ter seu direito garantido. Além disso, também é importante evidenciar que uma das justificativas para o aumento de tempo na escola é a demanda popular. Afinal, as famílias que não ficam muito tempo em casa precisam de um lugar que garanta os direitos de ensino, convivência e proteção aos seus filhos, enquanto os pais lhe asseguram o direito de viver e alimentar-se.

Tendo em vista a atuação vasta do projeto Ler e Pensar, tanto em atividades de turno como contra turno escolar, Everton Renaud e Fernanda Martins, da equipe do projeto, marcaram presença no evento e acompanharam as discussões. Diante da fala de Arroyo, que afirmou que o tempo do “extra turno” não é o mesmo do turno, surgiu um questionamento acerca de quem é o professor que vai trabalhar neste “novo tempo” (o extra turno).

“O questionamento é profundo, pois desde os cursos de formação de professores, eles são preparados para atuar no turno, e não têm o mesmo preparo e consciência de quem trabalha no contra turno”, afirma Arroyo. Segundo ele, ainda é necessário e ao mesmo tempo imprescindível, integrar esses dois tempos, e integrar os dois tipos de educadores.

Você tem medo de desafios?

quinta-feira, 22 de setembro de 2011

Vale muio a pena assistir esse video. Mas apenas ver por ver pode até te fazer chorar um pouco, animar-se, orgulhar-se do personagem. Mas se só isso acontecer, assista novamente, com olhos de professor. Capacidade é na prática, muito maior do que representamos nas ideias e nesta palavra. Temos muito a aprender!




Uma criança cega precisa escrever uma redação sobre as cores das flores. O vídeo mostra o desafio do menino para conseguir cumprir a tarefa. A tradução para o português foi feita para o blog "Assim como Você", de Jairo Marques.

E se fosse com você?

segunda-feira, 29 de agosto de 2011

Muita gente já conhece as diversas tirinhas da Mafalda. Ela é ótima, pois tem um humor inigualável e ainda nos coloca para refletir sobre muitas coisas.

Por isso uso a tirinha abaixo para perguntar: E se a Mafalda fosse sua aluna? O que você ensinaria? Quais são as coisas realmente importantes?



Se você já tem uma Mafalda em sua turma, ótimo! Conte-nos a experiência!!

Sala Aberta: Dar voz às pessoas

terça-feira, 23 de agosto de 2011

Replicando o texto de Ayne Salviano, ótima jornalista, educomunicadora! Enjoy!

O ser humano é um ser social. Ele precisa se comunicar. Mais do que isso, ele necessita se manifestar. Com o avanço da tecnologia e das ferramentas da web 2.0, ele está conquistando espaços nunca antes imaginados. E, claro, está gostando porque poder se expressar significa ter liberdade. Desta forma, valorizar as oportunidades de expressão é uma maneira de propagar o direito de ter opinião.



E foi pensando nisso que os estudantes da escola municipal Profª. Leonor Chaim Cury, de Birigui, fizeram questão de montar um painel com as fotos dos alunos que tiveram suas mensagens publicadas no Nossa Vez!, suplemento infantojuvenil da Folha da Região criado por mim em 2010 como um espaço educomunicativo aonde o público desta faixa etária pode se manifestar. Neste caso específico, até sugerindo pautas e outros assuntos que desejam ver publicados. Obrigada pelo carinho, pessoal.





BRINCADEIRA

O jornal é a oração matinal do homem moderno, já dizia Hegel. Impossível imaginar alguém atingindo destaque na vida pessoal ou profissional sem estar bem informado sobre o que acontece na sua cidade, no seu país e no mundo. Assim, o Ler para Crescer investe na formação continuada de professores que acreditam nestas ideias e queiram formar novos ‘leitores do mundo’ críticos e cidadãos. É comum, então, recebermos educadores com crianças de 3 e 4 anos visitando a redação. O que elas fazem aqui?



Descobrem o mundo mágico da informação e do conhecimento. E o jornal passa a ser uma das ferramentas lúdicas que além de ampliar a imaginação, ajudam na construção do conhecimento. Um exemplo aconteceu com os alunos da etapa 2, que têm entre cinco e seis anos, da professora Aureni Pinheiro de Araújo, da Emeb (Escola Municipal de Educação Básica) Julieta Arruda Campos, de Araçatuba. Depois que a professora leu as notícias, discutiu ideias e promoveu debates, usou o material reciclável para criarem guirlandas e enfeitarem a escola. Arrasaram em criatividade. Parabéns!



DIA A DIA

Os alunos do 2º ano A da Emeb Carmélia Mello Fonseca, também de Araçatuba, têm explorado o jornal à vontade lendo classificados, propagandas, notícias, sempre acompanhados da professora Irene Ventura da Silva Corte. Toda essa descontração está permitindo aos alunos indagar, questionar e, principalmente, entrar em contato com diversos tipos de textos. Leitura prazerosa, aula descontraída, aprendizado na certa!



DIFERENÇA

Já com a professora Ana Bitencourt, os alunos do 4º ano desenvolveram um jornal em sala de aula, explorando os tipos de assuntos e textos que podemos encontrar nesse veículo de comunicação: opinião, esporte, economia, saúde, classificados, entre outros. Em duplas, eles elaboraram perguntas, fizeram entrevistas para levantar fatos e compuseram as notícias. Escolheram o nome do jornal, elegeram a manchete e, superando as expectativas da professora, produziram textos. Segundo Ana, o contato com jornal proporcionou grande diferencial no aprendizado dos alunos.

Lorem

Please note: Delete this widget in your dashboard. This is just a widget example.

Ipsum

Please note: Delete this widget in your dashboard. This is just a widget example.

Dolor

Please note: Delete this widget in your dashboard. This is just a widget example.